Farmácia Maxifarma

9 mandamentos da mãe de primeira viagem

Não se preocupe: nossa lista de mandamentos da mãe de primeira viagem não quer colocar mais regras na sua vida, mas sim deixá-la mais leve!

04 de abril de 2018 - Maxifarma

Você está esperando seu primeiro filho ou então acabou de ter seu primeiro bebê? Parabéns! Essa novidade é uma das maiores alegrias da vida, mas ela também carrega muitas dúvidas e insegurança. Pensando nisso, preparamos esta lista com os 9 mandamentos da mãe de primeira viagem para ajudar você a enfrentar esta etapa:

1. Saberás que é normal ficar desesperada e que isso vai passar

Tem uma pessoa nova na sua casa e ela é incapaz de falar, de se alimentar sozinha, de tomar banho por conta própria e de te dizer por que ela está chorando. Qualquer um ficaria desesperado nessa situação, e isso não será diferente com você.

Portanto, o melhor a fazer é aceitar que você nem sempre vai saber o que fazer e que muitas vezes você vai perder o controle. Porém, acredite: você vai aprender tudo o que precisa e tanto você quanto o bebê vão sobreviver.

2. Colocarás um limite em quem pode visitar mamãe e bebê

Talvez você queira receber visitas na maternidade ou talvez queira que elas apareçam na sua casa. Pode ser que você fique feliz com a presença de todo mundo e pode ser que você prefira ter um tempo exclusivo para você e o bebê. Não existe certo e errado nessas horas.

Contudo, uma certeza que você pode ter é que você tem todo o direito de limitar as visitas e deixar claro quando você quer ou não recebê-las. Se for o caso, peça ao parceiro ou à sua mãe que deem uma desculpa qualquer e lembre-se de que quem está sendo inconveniente é a visita que apareceu sem perguntar.

3. Procurarás orientação especializada em amamentação se necessário

Muito se fala sobre a poesia do ato de amamentar, mas nem sempre as coisas são tão belas assim. O leite materno realmente é o melhor alimento que existe para o bebê, mas muitas vezes seu corpo e seu filho parecem não entender isso muito bem.

Problemas como o leite não descer, a pega errada, o bebê não ter força para sugar e a ansiedade da mãe são apenas algumas das dificuldades da amamentação. Se esse for o seu caso, lembre-se de que você não está sozinha e de que existem consultoras especializadas no assunto prontas para ajudar mamãe e bebê a superar essa fase.

4. Não te culparás se não puderes amamentar

Sim, a amamentação exclusiva até os seis meses é o ideal para o bebê de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Porém, se você não puder amamentar por algum motivo ou se você já fez de tudo, já procurou uma consultoria de amamentação e mesmo assim não deu certo, não se culpe.

As mamadeiras, os bicos artificiais e as fórmulas lácteas existem justamente para isso. Portanto, busque a orientação de um pediatra de confiança e saiba que você está fazendo o melhor pelo seu filho. Procure ver essas alternativas como uma solução, não como um símbolo de fracasso – novamente, você não tem culpa!

5. Terás paciência com teu próprio corpo

Sim, existem aquelas mulheres que voltam à forma antiga ou ficam ainda mais esbeltas dois meses depois de dar à luz. Contudo, você deve ter em mente que esses casos são exceção, e não regra.

Talvez você realmente fique com algumas estrias, alguns quilos a mais e uma barriguinha mais saliente, mas saiba que existem formas de amenizar essas mudanças se elas te incomodarem. Procure ter uma alimentação saudável, movimente-se quando possível e tenha paciência com seu corpo e com você mesma. Sua prioridade agora não é emagrecer.

6. Aceitarás ajuda com as tarefas da casa

Você provavelmente estará exausta com todas as responsabilidades e a impossibilidade de dormir uma noite inteira. Portanto, a melhor coisa que você pode fazer é deixar o espírito de Mulher-Maravilha de lado por algum tempo e aceitar a ajuda de pessoas que realmente te querem bem.

Tarefas como cozinhar, organizar a cozinha, lavar roupas e limpar a casa podem ser feitas pelo seu companheiro, pela sua mãe, pela sua irmã ou pela sua melhor amiga. Não tenha vergonha de pedir ajuda nem de aceitar quando alguém se oferecer para assumir esses compromissos.

7. Confiarás na sua intuição e ignorarás os palpites

Você pode não ter tanta experiência assim, mas esse bebê veio de dentro de você e você vai conhecê-lo melhor do que qualquer outra pessoa. É claro que você pode pedir conselhos para sua mãe, sua sogra e outras mães mais experientes, mas você não deve duvidar da sua intuição.

Palpites não solicitados devem ser sumariamente ignorados – talvez você até queira dizer algum desaforo para o intrometido, mas isso vai acabar te deixando ainda mais nervosa. Caso você fique insegura com alguma coisa que você leu ou ouviu, sempre esclareça a dúvida com o pediatra.

8. Proibirás a palavra “nunca” na tua casa

Se você enchia a boca para dizer “Meu filho nunca assistirá esses desenhos que são uma péssima influência”, “nunca permitirei que ele tenha acesso ao celular antes dos 14 anos” e “meu bebê nunca comerá balas e salgadinhos”, pode fingir que você não tem a menor lembrança de um dia ter pensado assim.

Nos momentos de desespero e exaustão, ninguém pode criticar uma mãe que deixou o filho aos cuidados da televisão para poder tomar um banho. Somente você conhece a sua realidade e os motivos pelos quais precisará fazer tudo ao contrário do que havia planejado.

9. Lembrar-te-ás de que ser mãe é apenas um de teus papéis

É normal que por alguns meses você se dedique exclusivamente ao bebê; afinal, esse serzinho depende de você para existir. Porém, conforme ele for crescendo e você for se acostumando ao fato de ser mãe, é importante retomar seus outros interesses.

Ser mãe não significa que você deverá abandonar suas aspirações profissionais, seu casamento, os encontros com as amigas e simples hábitos como assistir a uma série ou fazer as unhas. Assim, quando você voltar a ter vontade de fazer essas coisas, você não deve se sentir culpada nem achar que está abandonando o bebê.

Você precisa ter outras atividades e momentos de descanso para manter sua saúde mental, por isso não pense que se dedicar a qualquer coisa além da criança significa que você não a ama. Pelo contrário, cuidar de você é essencial para que você esteja bem e possa exercer suas funções de mãe.

No fundo, todos os mandamentos da mãe da primeira viagem têm o mesmo objetivo: permitir que você aceite as dificuldades com mais naturalidade e não se culpe tanto quando as coisas saírem diferente do planejado. Não existe a mãe perfeita, mas sim a melhor mãe que você pode ser naquele momento.